_

Na tarde desta quarta – feira (14), o Juiz de Direito Raimundo Cesar Ferreira da Costa, da 8 Vara do Juizado Especial de Causas Comuns da Capital do Estado, julgou IMPROCEDENTE mais uma ação promovida com o intuito de intimidar o Vereador Diga Diga. Desta vez a ação foi proposta por Edson Santana Vasconcelos, representante da AJ Construções empresa supostamente sediada no município de Simões Filho  -Ba, que é Investigada pelo Ministério Público sob suspeita de irregularidades como crimes de Licitação e atos de improbidade administrativa em um contrato milionário celebrado com a prefeitura municipal de Itapetinga, ato denunciado pelo Vereador Diga Diga

Na sentença,  o Magistrado  ressalta a função fiscalizadora do legislativo, “Portanto, resta cabalmente comprovado que Diego Queiroz Rodrigues agiu na função de edil, atuando em postura investigativa e de proteção do erário, com pleno nexo causal com a função pública desenvolvida, divulgando as imagens e informações combatidas no município em que foi eleito (CF, art. 29, VIII – inviolabilidade dos Vereadores por suas opiniões, palavras e votos no exercício do mandato e na circunscrição do Município;):comprovou que o Vereador agiu na função de edil, atuando em postura investigativa e de proteção do erário, com pleno nexo causal com a função pública desenvolvida”.

A defesa do vereador Diga Diga foi foi exercida por um dos melhores advogados da Bahia, o Itapetinguense Claudio Santana Peixoto, que vem ganhando notoriedade do mundo jurídico pelo excelente trabalho desenvolvido em ações como essas.

Essa é a segunda ação que a Justiça julga Improcedente na tentativa de prepostos da Aj Construções  tentar intimidar o vereador Diga Diga (Clique Aqui e veja a Primeira)

Suposta Sede da empresa Alfa Construções

 

Denúncia

Em Março de 2019 o Vereador Diga Diga denunciou a empresa AJ Construções, que tem como proprietária uma ex beneficiária do programa social Bolsa Família (clique aqui). A empresa é detentora de um contrato milionário com a prefeitura municipal de Itapetinga, com o objeto do serviço, a locação de veículos para o município, dentre eles, uma caminhonete de luxo, que fica a disposição do prefeito Rodrigo Hagge. Uma Representação foi protocolada no Ministério Publico e foi instaurado um Inquérito Civil Público, e de acordo com informações do MP, o caso está em investigação no núcleo de Crimes de ordem pública cometidas por gestores.  Veja o vídeo ABAIXO.