O ex-presidente Lula (PT) tem mantido a capacidade de transferir votos. De acordo com a Folha, a percepção ficou clara em levantamentos feitos recentemente em que os nomes do ex-governador da Bahia, Jaques Wagner, e o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, foram testados.

De acordo com a publicação, o eleitorado pró-PT começou a se mover sozinho, em busca de um “candidato do Lula”, independentemente de o partido apresentar um nome para substituí-lo. O grupo que declara voto espontâneo no ex-presidente, portanto, começou a minguar.

Os dados chegaram à direção da legenda no sábado, quando os petistas discutiam a possibilidade de indicar um vice na chapa de Lula com perspectivas reais de substituí-lo. Fernando Haddad acabou como indicado.O ex-presidente Lula (PT) tem mantido a capacidade de transferir votos. De acordo com a Folha, a percepção ficou clara em levantamentos feitos recentemente em que os nomes do ex-governador da Bahia, Jaques Wagner, e o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, foram testados.
De acordo com a publicação, o eleitorado pró-PT começou a se mover sozinho, em busca de um “candidato do Lula”, independentemente de o partido apresentar um nome para substituí-lo. O grupo que declara voto espontâneo no ex-presidente, portanto, começou a minguar.
Os dados chegaram à direção da legenda no sábado, quando os petistas discutiam a possibilidade de indicar um vice na chapa de Lula com perspectivas reais de substituí-lo. Fernando Haddad acabou como indicado.