A fase não é das melhores para o deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA). Além do pedido da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, de recolhimento noturno, o peemedebista deve enfrentar um processo no Conselho de Ética da Câmara Federal. Segundo a Coluna do Estadão, do jornal O Estado de S. Paulo, o PSOL vai representar no colegiado pela cassação do mandato do peemedebista, acusado de lavagem de dinheiro e associação criminosa. “O caso de malas de R$ 51 milhões é bastante simbólico para a sociedade e achamos que a Câmara tem de agir, não só a Procuradoria”, disse o deputado Ivan Valente (PSOL-SP) à publicação.